MINHA CONTA

Endereço de e-mail

Senha

Joias de Prata 925 e 950

Brincos de Prata 925 e 950

Brincos Florais de Prata 925 com Safiras e Marcassitas Naturais

Brincos Florais de Prata 925 com Safiras e Marcassitas Naturais

(001224)

Marca:  Preciosa  | 

Modelo:  Jóia de Prata 925 com Gemas Naturais

Encantadores Brincos Florais de Prata 925 com Safiras e Marcassitas Naturais

mais informações

Brincos Florais de Prata 925 com Safiras e Marcassitas Naturais

(001224)

Marca:  Preciosa  | 

Modelo:  Jóia de Prata 925 com Gemas Naturais

Encantadores Brincos Florais de Prata 925 com Safiras e Marcassitas Naturais

mais informações

As combinações acima não possuem estoque.

Produto temporariamente indisponível

Descrição do Produto

DESCRIÇÃO:

Brincos Florais de Prata 925 com Safiras e Marcassitas Naturais

Nome da(s) Pedra(s): Safiras e Marcassitas Naturais
Cor da(s) Pedra(s): Azul
Corte da(s) Pedra(s): Oval Facetada
Peso da Jóia: 7,8 g, ou 38,23 CT. (peso total de prata + pedra)
Tamanho da jóia: 19,0 X 17,0 mm
Dimensões da(s) Pedra(s): 8,0 X 6,0 mm
Clareza: Excelente
Brilho: Encantador
Tratamento: Com Aquecimento
Origem da(s) Gema(s): África e Vietnam
Origem da Jóia: Thailândia
Metal: Prata 925
Quantidade: 01 par

CURIOSIDADES:

Marcassita

Hoje em dia as pessoas estão familiarizadas com diamantes, rubis, esmeraldas e pérolas. Poucas pessoas usam a marcassita. Mas ela foi muito requisitada no século 18 como substituto do diamante. E durante os períodos art déco e art nouveau, do início do século 20, se tornou muito popular.
Sua superfície tem um brilho muito bonito. É um mineral natural. Tem uma cor amarelo-pálido e brilho metálico.
Muitas pessoas a confundem com a pirita. Apesar das duas terem a mesma fórmula química, possuem estruturas cristalinas diferentes.
O metal mais usado com marcassita é a prata. O contraste que causa a combinação do metal com a pedra dá um aspecto vintage muito bonito.
Hoje em dia anéis, brincos e broches têm um preço muito acessível no mercado e a marcassita dá um charme muito especial como acessório
Vestígios de jóias com Marcassita foram encontrados na Grécia antiga e nos cemitérios do povo Inca da América Latina.
Há relatos de que Cleópatra também usava Marcassitas a fim de preservar sua beleza. A Marcassita também era extremamente popular nos séculos 18 e 19 na Grã-Bretanha, alcançando o seu pico em popularidade durante o reinado da rainha Vitória da Inglaterra na segunda metade do século 19.
Muitos designers criaram coleções com marcassitas misturadas a ouro e pedras preciosas dando uma cara mais moderna para a jóia.
Hoje em dia a marcassita tem sido muito importante na exportação da Tailândia para o Brasil.
Na Índia ela é usada tradicionalmente como parte do vestido de noiva, substituindo o strass. O que deve ser uma grande dor de cabeça, já que não pode ser lavado.
As jóias de marcassita requerem cuidados especiais.
É uma pedra macia e na maioria das vezes é colada e não cravada. Por isso, nem pense em chegar perto de água com ela. Para limpar só use pano ou flanela seca.
Quando cair alguma pedrinha não adianta usar super bonder ou similares. Leve a um profissional que tem a resina certa para não estragar a sua jóia.

Safira

O nome Safira vem do grego e significa "azul". Antigamente, o nome safira era utilizado para designar todas as pedras azuis. A safira pertence ao mesmo grupo do rubi, o grupo dos coríndon. As safiras possuem diversas cores, desde o azul, amarela, rosa, laranja, pois a única cor da família dos coríndons que não é safira é a vermelha, que é o rubi. Em 1966, foi encontrada a maior safira estrelada (astérica), um cristal de 63.000 quilates (=12,6kg).

Jazidas: As jazidas mais importantes de safiras estão na Austrália (Queensland, desde 1870), Birmânia, Norte da África, Sri Lanka e Tailândia. As melhores Safiras vinham, antigamente, de Kashmir, na Índia; a jazida se encontrava a 5000m de altitude e estava sendo explorada desde 1880 e parece estar esgotada

Cuidados com sua safira: É uma pedra muito resistente, um dos mais duráveis. Deve-se apenas tomar cuidado com os riscos.

Comentários