MINHA CONTA

Endereço de e-mail

Senha

Joias de Prata 925 e 950

Colar e Gargantilha de Prata 925 e 950

Colar de Prata 925 com Pérolas Espinélio Madrepérola e Marcassitas

Colar de Prata 925 com Pérolas Espinélio Madrepérola e Marcassitas

(150001)

Marca:  Preciosa  | 

Modelo:  Jóia de Prata com Multigemas Naturais

Colar de Prata 925 com Pérolas, Espinélio, Madrepérola e Marcassitas Naturais

mais informações

Colar de Prata 925 com Pérolas Espinélio Madrepérola e Marcassitas

(150001)

Marca:  Preciosa  | 

Modelo:  Jóia de Prata com Multigemas Naturais

Colar de Prata 925 com Pérolas, Espinélio, Madrepérola e Marcassitas Naturais

mais informações

As combinações acima não possuem estoque.

de: R$ 4.998,00

por: R$ 2.598,00

ou por 6x de R$ 433,00 sem juros

ESTOQUE: 1

Quantidade

+

-

COMPRAR

Ver outras formas de pagamento e parcelamento

Frete e prazo

Frete e prazo

calcular

Não sei meu cep

Descrição do Produto

Descrição do Produto

DESCRIÇÃO: 

Colar de Prata 925 com Pérolas, Espinélios Negros, Madreperola e Marcassitas Naturais

Nome da(s) Pedra(s): Pérolas, Espínélios negros, Madrepérola e Marcassitas  Naturais
Cor da(s) Pedra(s): Branco Perolado, Preto e Branco
Corte da(s) Pedra(s): Barroco, Briolete Almofadado e Cabochão
Peso da Jóia: 298,85 CT, ou 59,770 g (peso total de prata + pedra)
Dimensões da(s) Pedra(s): 17,5  9,0 mm a 30,0 X 10,0 mm; Pérolas: 8,0 a 8,5 mm; Madrepérolas: 4,0 mm a 17,0 x 9,0 mm
Comprimento Total: 52,0 cm
Clareza: Top
Brilho: Deslumbrante
Tratamento: Sem Aquecimento e Cultivadas em Água Fresca
Origem: Tailândia, China e Vietnam
Origem da Jóia: Thailândia
Metal: Prata 925
Quantidade: 01 peça 

CURIOSIDADES:

Pérolas

Sobre Pérolas

A origem da palavra pérola vem do latim e seu significado talvez venha de um molusco "perna" ou devido a sua forma esférica "sphaerula". As pérolas são produzidas por moluscos e seu tamanho varia do de uma cabeça de alfinete e o de um ovo de pomba. A maior pérola encontrada pesa 450 quilates. A pérola se origina de uma reação do molusco a corpos estranhos que penetram no seu interior.
Certos moluscos bivalves (duas conchas), como alguns mexilhões e ostras, criam pérolas como uma reação a um agente irritante que se alojou dentro da concha. Na natureza, essa irritação pode ser microscópica, como um parasita, ou um grão de areia. O molusco segrega nácar, o mesmo material usado na parte interna da concha, e, ao longo do tempo, o nácar vai envolvendo o intruso, criando a pérola. Pérolas naturais podem não ser, necessariamente, perfeitamente redondas. Quanto mais tempo o molusco trabalha para criar a pérola, maiores as chances de a pérola ser deformada ou oca. Tanto os moluscos de água salgada quanto os de água doce produzem pérolas. 
Propriedades: Tem o poder de atrair amor, sorte, saúde e dinheiro. Considerada a mais sensível das pedras, por ser gerada a partir de um ser vivo.

Pérolas de cultura 

As pérolas cultivadas não são uma imitação, mas sim uma forma do homem colaborar para sua formação natural. A produção das pérolas cultivadas é causada pela introdução de corpos estranhos nos moluscos.
Quando os técnicos introduzem um irritador em um molusco, ele se protege com nácar, como de costume, e o resultado é uma pérola "real". No entanto, o irritador é muito maior que um grão de areia ou um parasita. Moluscos de água salgada são semeados com uma lasca pequena de madrepérola (material do interior da concha), mais um pedacinho de seu próprio tecido, o que leva à produção da pérola imediatamente. Pérolas de água salgada cultivadas, portanto, começam maiores, têm um centro não-nácar, são uniformemente arredondadas e estão prontas para a colheita mais cedo do que uma pérola natural.

Jazidas: As pérolas de melhor qualidade encontram-se no Golfo Pérsico (pérola do oriente). Existe também extração na Índia e Sri Lanka, na Austrália e na América Central. As pérolas cultivadas são produzidas em larga escala no Japão.

Cuidados com a pérola: As pérolas têm que ser armazenadas separadamente das outras peças, envolvidas em tecido. Limpe-as com um pano úmido e evite produtos químicos da casa, produtos para os cabelos, cosméticos e perfumes, pois tiram o brilho das pérolas.
 
Madrepérola

Madrepérola ou nácar é uma substância calcária, dura, brilhante, branca ou escura e iridescente produzida por diversos moluscos, especialmente os bivalves. É o principal componente das pérolas.

Produção
A madrepérola reveste o interior de diversas conchas. Também é liberada por alguns moluscos como uma reação a um corpo estranho que tenha entrado em sua membrana epitelial. O corpo estranho causa irritação ao animal, que passa a liberar essa secreção isolada para calcificação similar a parte interna da concha, formando uma pérola cujo tamanho varia de acordo com o tempo de resistência do corpo estranho no animal e das condições climáticas do meio ambiente.
A madrepérola é bastante utilizada na confecção de jóias. A madrepérola tem a mesma origem da pérola: a concha. Em alguns tipos de molusco, quando entra um corpo estranho em seu interior, o organismo do molusco começa a liberar uma substância nacarada que vai cobrir a parte interna da concha, e assim surge o que conhecemos como madrepérola.
Como o nome diz: madrepérola significa "mãe das pérolas". Diz a lenda que a deusa afrodite nasceu numa concha de madrepérola criada pela espuma do mar. É o símbolo das bodas de 31 anos.
Assim como a pérola, a madrepérola é orgânica, e por isso precisa quase dos mesmos cuidados que a pérola como por exemplo: evitar guardar em lugares fechados, onde a peça não respira, alguns tipos de pele contém substâncias que podem alterar a madrepérola, não guarde sua peça com madrepérola em lugares umidos, e nem onde tem calor excessivo.
As ostras que produzem a madrepérola são as ostras conhecidas como ostras bivalves. As ostras que são encontradas no Pacífico Sul são grandes, e é delas que se tira a maior parte da madrepérola encontrada no mundo. Países como a nova zelândia, Austrália, Estados Unidos e Filipinas produzem madrepérolas, e as melhores são encontradas em mares tropicais. O Japão além de produzir lindas pérolas, também produz a madrepérola.
No Brasil as ostras encontradas na parte sul da Ilha de Marajó produzem um tipo de madrepérola interessante, ela é mais espessa que as demais, essas ostras tem em média 10 cm, e uma forma alongada, além de produzirem madrepérolas excepcionais, as pérolas produzidas por ostras encontradas nessa região apresentam boa qualidade, existem até casos de pessoas que quando comem as ostras de lá encontram uma pérola no meio.
Assim como na pérola, a cor da madrepérola vai depender da cor do interior da ostra, se a ostra tem um interior rosado, a madrepérola será rosada, se for da cor creme, a madrepérola terá a cor creme, alguns tipos de madrepérola apresentam duas nuances, as vezes creme com nuances prateadas, ou creme com nuances rosadas. O material que compõe a madrepérola é o nácar, mesma composição da pérola, a diferença é que na madrepérola o nácar se deposita em toda a parte interna da concha, e não somente no meio como na pérola. É uma pedra resistente, calcária, flexível as que apresentam um tom opaco, tem baixo valor, as que apresentam brilho são as que valem mais. Podem ter diversas cores como: o creme, o rosa, o verde, e o prata.
A madrepérola é utilizada tanto em bijouterias quanto em jóias, diferente da pérola, ela não é tão rara, e seu cultivo é mais fácil que a da pérola.

Uso em instrumentos musicais
A madrepérola tem uso também nos instrumentos musicais. O profissional chamado Luthier, cria seus instrumentos utilizando-a para marcar o braço com pequenos cilindros, já alguns chegam a fazer desenhos das mais variadas formas (no braço de instrumentos) com a madre. Ela também é utilizada na construção de tarrachas, knobs, acabamentos e "escudos" tanto em guitarras como em contra-baixos. A Madrepérola também é utilizada no fabrico de teclas para acordeon. A pérola é um objeto muito valioso.

Aspectos culturais
Nácar é a substância que representa as bodas de trinta e um anos de casamento. Segundo algumas versões da Mitologia greco-romana, a deusa Vénus (para os romanos) ou Afrodite (para os gregos) nasceu de dentro de uma concha madrepérola tendo sido criada pelas espumas do mar.
A madrepérola pode refletir freqüências difererentes da luz de acordo com a maneira como é iluminada, de modo que pode apresentar cores variadas, que vão dos rosas, aos azuis, verdes e amarelos, em várias tonalidades. Esse efeito é considerando bastante agradável à vista.
As pérolas são pequenas esferas feitas de nácar. São gemas bastante apreciadas. Quanto maiores forem, mais apreciadas são.
 
Espinélio

O Espinélio é o maior impostor da história das pedras preciosas: muitos rubis famosos em jóias de coroas ao redor do mundo são, na realidade, espinélios. O mais famoso é o Rubi Black Prince, um magnífico espinélio vermelho de 170 quilates que agora enfeita a Coroa Imperial da Inglaterra após uma longa história: Henry V o usava em seu capacete de batalha! O rubi Timur, um espinélio vermelho de 361 quilates agora pertence à Rainha Elizabeth, e tem os nomes de alguns dos imperadores que o possuíram gravados em sua face: um pedigree incontestável! 
Na Birmânia (agora conhecido como Mianmar), onde algumas das cores mais bonitas são minadas, o espinélio foi reconhecido como uma espécie de jóia somente em 1587. Em outros países, a farsa continuou por centenas de anos. Espinélios eram mais freqüentemente conhecidos como "rubis balas", o que pode ter se dado devido à sua cor ou ao seu país de origem. 
Agora estimado por seu próprio valor, o espinélio é uma das pedras favoritas dos traficantes de pedras preciosas e compradores por conta de seu brilho, dureza e ampla gama de cores espetaculares. Além de vermelhos ricos, o espinélio pode ser encontrado em uma variedade de tons pastel de rosa a roxo. De interesse particular é um espinélio de cor rosa quente vívido com um toque de laranja, extraído na Birmânia. É uma das cores de pedras preciosas mais espetaculares já vistas de qualquer espécie. O Espinélio também vem em belos tons azul cobalto, mas estes são muito, muito raros.
Na verdade, o principal fator que impede o espinélio de alcançar maior reconhecimento é a sua raridade. Os Espinélios finos são agora mais raros do que os rubis que costumavam imitar. Estranhamente, eles também são mais acessíveis: no mundo das gemas preciosas, a raridade pode ser uma desvantagem, porque poucas pessoas terão chance de desenvolver um gosto para as variedades em questão. 
Além de Birmânia, espinélio é extraído no Sri Lanka, Tanzânia e Tadjiquistão, que faz parte da antiga União Soviética. 
O Espinélio é uma gema durável perfeito para todos os usos em jóias. É mais freqüentemente facetado em redondo, oval, ou formas de almofada, e, de momento, não é encontrado em tamanhos calibrados devido à sua raridade. 

PRODUTOS RELACIONADOS

Produtos Relacionados

Comentários