MINHA CONTA

Endereço de e-mail

Senha

Joias de Prata 925 e 950

Colar e Gargantilha de Prata 925 e 950

Gargantilha Indiana de Prata 925 com Multigemas Naturais

Gargantilha Indiana de Prata 925 com Multigemas Naturais

(001663)

Marca:  Preciosa  | 

Modelo:  Jóia de Prata 925 com Gemas Naturais

Espetacular Gargantilha Indiana de Prata 925 com Madeira Petrificada com Inclusões de Madrepérola, Ametistas, Topázios Smoky e Topázios Sky Blue Naturais

mais informações

Gargantilha Indiana de Prata 925 com Multigemas Naturais

(001663)

Marca:  Preciosa  | 

Modelo:  Jóia de Prata 925 com Gemas Naturais

Espetacular Gargantilha Indiana de Prata 925 com Madeira Petrificada com Inclusões de Madrepérola, Ametistas, Topázios Smoky e Topázios Sky Blue Naturais

mais informações

As combinações acima não possuem estoque.

de: R$ 2.718,00

por: R$ 1.358,00

ou por 12x de R$ 136,34 com juros

ESTOQUE: 1

Quantidade

+

-

COMPRAR

Frete e prazo

Frete e prazo

calcular

Não sei meu cep

Descrição do Produto

DESCRIÇÃO:

Gargantilha Indiana de Prata 925 com Madeira Petrificada com Inclusões de Madrepérola, Ametistas, Topázios Smoky e Topázios Sky Blue Naturais

Nome da(s) Pedra(s): Madeira Petrificada com Inclusões de Madrepérola, Ametistas, Topázios Smoky e Topázios Sky Blue Naturais
Cor da(s) Pedra(s): Marrom, Creme, Cinza Fumaça, Azul Céu e Roxo
Corte da(s) Pedra(s): Oval, Gota e Redonda Facetada e Pera Cabochão
Peso da Jóia: 72,0 g, ou 358,5 CT. (peso total de prata + pedra)
Comprimento Total: 45,5 cm
Pingente: 60,0 X 31,5 mm (Artefato Aborígine Australiano elaborado com Madeira Petrificada esculpida e encravada com Madrepérola; Peça Artesanal Única)
Dimensões da(s) Pedra(s): 4,4 mm a 17,5 X 12,6 mm
Clareza: IF a VVS e Excelente
Brilho: Magnífico
Tratamento: Não Aquecido
Origem: Brasil e Austrália
Origem da Jóia: Índia
Metal: Prata 925
Quantidade: 01 peça

CURIOSIDADES:

Ametista

O nome vem do Grego amethystos, significa não ébrio, não bebido. É a pedra mais apreciada da família dos Quartzos. A sua cor é violeta púrpura, podendo ser mais profunda ou mais suave; também é encontrada com faixas brancas de quartzos leitosos.

Esta pedra ocupou destaques importantes em ornamentos católicos ao longo dos séculos, considerada a pedra de Bispos e Cardeais. No século XVIII era muito valorizada, após descoberta de jazidas no Brasil se tornou uma pedra de médio valor. Quando têm formato de pirâmides, a cor mais intensa predomina nas pontas dos cristais. A ametista é encontrada em muitos países, mas os maiores depósitos estão no Sul do Brasil e no Uruguai.

Jazidas: As Ametistas são encontradas em geodos, gretas ou jazidas aluvionares. As jazidas mais importantes estão no Brasil, Uruguai e República de Malgaxe.

Cuidados com a sua ametista: A Ametista é uma pedra muito durável e por isso é uma ótima escolha para o uso diário. Deve-se apenas tomar o cuidado de retirar a jóia em atividades em que a pedra possa sofrer riscos. Tomando-se este cuidado a pedra estará sempre intacta.

Propriedades: Pedra da Alma, pedra utilizada para abertura do 3º olho, acalma a vibração trazendo tranqüilidade para o interior da mente. Libera a tensão. Mexe com o corpo mental, protege conta doenças, tranqüiliza. É usada para insônia e enxaqueca. Atua sobre o sistema circulatório, imunológico e metabólico. Acalma a mente, aumentando a memória e a motivação.

Topázio

O topázio está entre as gemas mais tradicionais e de uso mais antigo. Pode ser encontrado em muitas cores: amarelo, rosa, azul, incolor, vermelho etc, mas, por ser a amarela a mais valiosa, muitos pensam ser sempre esta sua cor.
A variedade amarela-alaranjada, comercialmente conhecida como topázio imperial, é particularmente importante para os brasileiros, pois nosso país é o único que a produz. Ele é extraído apenas em Minas Gerais e somente no município de Ouro Preto. Trata-se, pois, de uma gema de ocorrência muito restrita
O citrino, uma variedade de quartzo de cor semelhante à do topázio imperial, mas de menor valor, é freqüentemente vendido como se fosse esta gema. Estima-se que 80% da s pedras que são vendidas como topázios são, na verdade, citrinos. Isso explica o grande número de nomes comerciais enganadores dados ao quartzo amarelo: topázio da Boêmia, topázio de Salamanca, topázio Escocês, Topázio Hinjosa, topázio Madagascar, etc. No Brasil, já foram muito usados os nomes topázio Rio Grande, topázio Bahia e topázio Palmeira, dos quais o primeiro pelo menos foi praticamente abandonado no Rio Grande do Sul, seu principal produtor.
Esses nomes podem enganar o consumidor duplamente: primeiro por ser tratar de citrino e não de topázio; segundo porque muitas vezes a cor desse citrino foi obtida artificialmente, por tratamento térmico de ametista.
O quartzo amarelo assim obtido é muito apreciado e responde por boa parcela das exportações de gemas gaúchas. Mas, não se trata de nenhuma fraude, desde que ele seja vendido pelo que é, ou seja, citrino, e não topázio. Mas, como distinguir citrino de topázio imperial?
Se forem gemas brutas, a distinção não é difícil, bastando verificar a dureza (maior no topázio), clivagem (ausente no citrino) e morfologia dos cristais, por exemplo. Mas, se forem lapidadas, fica bem mais difícil e é preciso recorrer a equipamento gemológico que permita determinar propriedades como o índice de refração e a densidade (ambos mais altos no topázio).
A água-marinha e o topázio azul também podem ser confundidos. Mas, neste caso o topázio é que é a gema menos valiosa e são raros os nomes enganadores, tipo água-marinha Nerchinsk (topázio azul).
Normalmente pensa-se no Topázio como amarelo dourado, transparente. No entanto, ele pode ainda ser amarelo-laranja, vermelho, cor de mel, cereja escuro, verde claro, azul e rosa. O nome Topázio deriva da palavra Grega (Bllhar) e também se aplica à palavra fogo. O Topázio Imperial e os Rosas são os mais valiosos.

Jazidas: O Topázio encontra-se no Brasil, na Nigéria e no Sri Lanka

Cuidados com seu Topázio: Recomenda-se tirar o Topázio para atividades que possam desgastar, riscar ou quebrar a pedra.

Propriedades: Proteção, melhora a circulação, afasta a ira, ajuda a regenerar os tecidos, representa a energia. Intensifica e transforma os pensamentos e sentimentos mais subjetivos em forma concreta. Rejuvenesce o corpo elétrico e o alinha com o corpo físico.

Madrepérola

Como o nome diz: madrepérola significa "mãe das pérolas". Diz a lenda que a deusa Afrodite nasceu numa concha de madrepérola criada pela espuma do mar. É o símbolo das bodas de 31 anos.
Madrepérola ou nácar é uma substância calcária, dura, brilhante, branca ou escura e iridescente produzida por diversos moluscos, especialmente os bivalves. É o principal componente das pérolas.
Produção
A madrepérola reveste o interior de diversas conchas. Também é liberada por alguns moluscos como uma reação a um corpo estranho que tenha entrado em sua membrana epitelial. O corpo estranho causa irritação ao animal, que passa a liberar essa secreção isolada para calcificação similar a parte interna da concha, formando uma pérola cujo tamanho varia de acordo com o tempo de resistência do corpo estranho no animal e das condições climáticas do meio ambiente.
As ostras que produzem a madrepérola são as ostras conhecidas como ostras bivalves. As ostras que são encontradas no Pacífico Sul são grandes, e é delas que se tira a maior parte da madrepérola encontrada no mundo. Países como a nova Zelândia, Austrália, Estados Unidos e Filipinas produzem madrepérolas, e as melhores são encontradas em mares tropicais. O Japão além de produzir lindas pérolas, também produz a madrepérola.
No Brasil as ostras encontradas na parte sul da Ilha de Marajó produzem um tipo de madrepérola interessante, ela é mais espessa que as demais, essas ostras tem em média 10 cm, e uma forma alongada, além de produzirem madrepérolas excepcionais, as pérolas produzidas por ostras encontradas nessa região apresentam boa qualidade, existem até casos de pessoas que quando comem as ostras de lá encontram uma pérola no meio.
Assim como na pérola, a cor da madrepérola vai depender da cor do interior da ostra, se a ostra tem um interior rosado, a madrepérola será rosada, se for da cor creme, a madrepérola terá a cor creme, alguns tipos de madrepérola apresentam duas nuances, as vezes creme com nuances prateadas, ou creme com nuances rosadas. O material que compõe a madrepérola é o nácar, mesma composição da pérola, a diferença é que na madrepérola o nácar se deposita em toda a parte interna da concha, e não somente no meio como na pérola. É uma pedra resistente, calcária, flexível as que apresentam um tom opaco, tem baixo valor, as que apresentam brilho são as que valem mais. Podem ter diversas cores como: o creme, o rosa, o verde, e o prata.
A madrepérola é utilizada tanto em bijuterias quanto em jóias, diferente da pérola, ela não é tão rara, e seu cultivo é mais fácil que o da pérola.

Utilização

A madrepérola é bastante utilizada na confecção de jóias. A madrepérola tem a mesma origem da pérola: a concha. Em alguns tipos de molusco, quando entra um corpo estranho em seu interior, o organismo do molusco começa a liberar uma substância nacarada que vai cobrir a parte interna da concha, e assim surge o que conhecemos como madrepérola.
Assim como a pérola, a madrepérola é orgânica, e por isso precisa quase dos mesmos cuidados que a pérola, como, por exemplo: evitar guardar em lugares fechados, onde a peça não respira; alguns tipos de pele contêm substâncias que podem alterar a madrepérola; não guarde sua peça com madrepérola em lugares úmidos, e nem onde tem calor excessivo.

Madeira Petrificada

Madeira petrificada é um fóssil em que os restos orgânicos foram substituídos por minerais no lento processo de se transformar em pedra. Este processo de petrificação geralmente resulta em uma mineralização de calcedônia de quartzo.
Condições especiais raras devem ser atendidas para que a madeira seja transformada em Madeira Fóssil preciosa ou madeira petrificada. Em geral, as árvores caídas ficam soterradas em um ambiente livre de oxigênio (ambiente anaeróbio), que preserva a estrutura da árvore original e a aparência geral. As condições incluem um acesso regular à água mineral rica que flui através da madeira, substituindo a estrutura de árvore de pedra orgânica pela inorgânica. O resultado final é de madeira petrificada, uma árvore, com sua estrutura básica original no lugar, substituída por pedra. Este processo pode ocorrer em menos de mil anos. Minerais exóticos raros permitem que as cores vermelho e verde sejam vistas em espécimes mais raros.
Madeira petrificada (da raiz grega petro que significa "pedra", literalmente "de madeira se transformou em pedra") é o nome dado a um tipo especial de restos fossilizados de vegetação terrestre. Ocorre uma transformação total da madeira em pedra pelo processo de permineralização. Todos os materiais orgânicos são substituídos por minerais (principalmente um silicato, como quartzo), mantendo a estrutura original da madeira. Diferentemente de outros tipos de fósseis que são tipicamente impressões ou compressões, a madeira petrificada é uma representação tridimensional do material original orgânico. O processo de petrificação ocorre no subsolo, quando a madeira fica enterrada sob sedimentos e é inteiramente preservada devido à falta de oxigênio, que inibe a decomposição aeróbia.
Em geral, a madeira leva menos de 100 anos de petrificar. A matéria orgânica tem de se tornar petrificada antes que se decomponha completamente. A floresta onde a madeira petrifica tem se tornado conhecida como Floresta Petrificada.

PRODUTOS RELACIONADOS

Produtos Relacionados

Comentários